(11) 5016-3280

Principais Dúvidas

A Consulta de Avaliação é muito importante, pois através deste procedimento o Dentista poderá mapear todos os problemas relacionados a sua saúde bucal. Podendo montar um programa de tratamento de acordo com sua necessidade, disponibilidade de tempo e valor a ser investido.

As clinicas e consultórios odontológicos não podem informar valores por qualquer tipo de mídia, por duas razões: A primeira em função do Código de Ética da Odontologia, que proíbe esta prática; a segunda e mais importante, porque o Dentista tem que efetuar uma avaliação clinica presencial e em alguns casos solicitar exames complementares para definir o tratamento mais adequado para cada caso.

A única forma segura de ter dentes brancos é com a aplicação do peróxido de carbamida ou do peróxido de hidrogênio, no consultório ou em casa, mas sempre com a supervisão de um dentista. Assim, o aumento de sensibilidade durante o processo de clareamento pode ser contornado. “Usados sem orientação, os clareadores oferecem também risco de formação de úlceras na gengiva”.

Em geral as pastas com branqueadores são ricas em substâncias abrasivas (como sílica e bicarbonato). Para eliminar manchas, esses cremes dentais desgastam o esmalte, o que pode acarretar retrações da gengiva e maior sensibilidade. Assim, é melhor conversar com nossos especialistas antes de usá-las.

Com o passar dos anos, os dentes escurecem porque o esmalte vai ficando fino e a dentina, que é mais escura, torna-se mais espessa. Além disso, alimentos como café, refrigerantes escuros, vinho tinto e chás são ricos em pigmentos, que impregnam o esmalte e contribuem para conferir ao dente uma coloração amarelada.

Sim. Ela pode ocorrer em qualquer idade. Por isso recomendamos uma boa higiene bucal e visitas regulares na clinica, para que seu (sua) dentista possa avaliar seu quadro.

Não, eles não substituem a escovação. Eles devem ser utilizados como complemento a escovação e de forma moderação, pois o uso excessivo contribui para manchar e escurecer os dentes. Opte pelos que contêm o antisséptico triclosan e são isentos de álcool.

Isso ocorre quando os canais microscópicos existentes na dentina, tecido que forma o corpo do dente, ficarem expostos e submetidos a pressão, frio, calor, alimentos doces ou ácidos. O tratamento varia conforme a causa. As principais são retração da gengiva (deixa a raiz do dente aparente), fratura no dente, trinca no esmalte, cárie, refluxo e bruxismo (ranger os dentes desgasta o esmalte).

Sim, não há problema. O sangramento se deve principalmente à gengivite, inflamação da gengiva decorrente da remoção inadequada de placa bacteriana dos dentes. A placa precisa ser retirada com escovação regular e, sobretudo, uso do fio dental, além de visitas a clinica. Do contrário, endurecerá, formando o tártaro, que agrava o sangramento e colabora para uma forma mais avançada de doença na gengiva conhecida como periodontite.

Sim, se a cárie se aproximar da polpa do dente, por onde passa a corrente sanguínea, as bactérias podem alcançar o sangue e circular pelo organismo, atingindo diferentes regiões, inclusive o coração e o celebro.

Os implantes dentários evoluíram e estão mais acessíveis e seguros. O implante é um pino de titânio com formato cilíndrico e tem a aparência de um parafuso. Esses são fixados na base óssea por meio de cirurgia e substituem a raiz do dente, recebendo na sequência a prótese do dente, para devolver estética e função mastigatória, com aspecto natural. Sua tecnologia pode atender pessoas que perderam um ou mais dentes, devolvendo o conforto para o dia a dia.

Sim, as contraindicações do procedimento abrangem diabéticos, fumantes, crianças e pessoas com graves problemas cardíacos, portadores de osteoporose, entre outras condições de saúde geral. Apenas o profissional poderá avaliar a aptidão do paciente para receber o tratamento. Ele irá analisar também se os tecidos periodontais estão com boa saúde, se não há restrições devido a outras doenças ou infecções agudas nas gengivas. O tratamento é todo feito com anestesia local e no pós-operatório o paciente irá tomar analgésicos, antibióticos e anti-inflamatórios para amenizar o desconforto e auxiliar a cicatrização. A boa notícia é que esse processo tem um bom índice de aceitação e adaptação.

  • LENTES DE CONTATO E FACETAS DE PORCELANA
  • ENCURTAMENTO OU ALONGAMENTO DA GENGIVA
  • CLAREAMENTO DENTAL 


O tratamento de canal é muito importante para salvar dentes que estão comprometidos com uma cárie profunda ou quando o dente sofre uma fratura - ficando suscetível a bactérias. Os sintomas que indicam a necessidade do canal estão relacionados à uma lesão aguda, causando dor contínua, algo como uma sensação de latejamento, que piora ao deitar ou tomar algo gelado. Em casos em que houve necrose da polpa, a dor alivia com o frio e piora em contanto com o quente. O dentista deve indicar se o tratamento de canal é recomendado.

O processo consiste na retirada da polpa do dente, seguida da limpeza do espaço interno e por fim o preenchimento da região com cimento odontológico, com o objetivo de vedar o canal e proteger do avanço de bactérias. Todo o procedimento é feito com anestesia, minimizando a dor no paciente. Após o tratamento, o paciente pode notar um escurecimento nos dentes, que acontece por causa da técnica utilizada, da profundidade da lesão e do material utilizado. Devemos lembrar que o dente com tratamento de canal realizado é um dente desvitalizado, sem a nutrição que o nervo fornecia e, por isso, já há uma tendência a alterações de cor ou trincas no esmalte. Atualmente novas ferramentas da tecnologia já minimizam esse efeito e certas técnicas revertem a mudança no tom do dente.